quarta-feira, 6 de abril de 2011

fome

As vidas correm como bocas para alimentar. Ligadas a um estômago caprichoso cheio de desejos apresentados como inequívocos em contextos concretos, insidiosos ávidos de satisfação imediata. A não escolha fantasiada pela aparência da opção. Se falta uma vitamina, um mineral, a fome persiste, insensível aos próprios nutrientes ou menus, empanturrando-se de tudo o que mais possa compensar a insatisfação da carência. As direcções nomeiam-se à medida da fome. Os dias passeiam-se com mais ou menos fome. As vidas vivem com mais ou menos fome.

2 comentários:

Vieira MCM disse...

Parece que as aparências ganharam estatuto de fast food, quem não consome tá fora.
Ainda bem para nós que gostamos de comida saudavel.
O melhor nutriente que podemos consumir é uma vida plena de satisfação. Por vezes não é fácil é lidar com a insatisfação dos outros, que acaba por interferir na nossa vida.

Beijinhos

Vieira MCM

Adriana Martins disse...

Vida....alimento: sonhos, coragem e muito amor, bjs

Pesquisar neste blogue