quarta-feira, 31 de março de 2010

espaços



Os espaços influem em realidades opostas
As certezas convenientes dissipam as virtudes
Num discurso sereno ampliam-se as vontades
Num secreto mundo de viagens impostas

Há mais momentos que intentos
Espero poder servir cada segundo
Interessa-me viver o mundo
Numa feliz alternância de momentos

E a paz segura tudo acalma
Vivida na esperança da viagem
Na maré a espuma solta-se na aragem
Com o momento que difunde a alma

quarta-feira, 24 de março de 2010

muito mais


É muito mais que uma simples janela velha
Muito mais que um vidro fosco
Para além do que nos permite imaginar a envolvência
Uma casa velha, repleta de teias de aranha
Um abandono
Que faz esquecer uma história, sabe-se lá com que contornos e desfechos
Mas como disse, é muito mais que tudo isso
É um vidro que está sujo e já quase nada protege
Um vidro que pouco pode fazer com um telhado que não existe
Porém é generoso, permitindo tudo o que se pode ver para além do que se vê
É um céu e as suas nuvens

terça-feira, 23 de março de 2010

parte de tudo

Voltei atrás para poder seguir em frente.
Na vida isso representa um caminho contínuo de imensas nuances e esferas que confluem num mesmo objectivo, concluindo cada passo uma corrente de evolução e envolvimento com um ser que é, antes de mais, um aliado: eu mesmo.
Tudo para que possa ser parte de tudo o que amo.

Pesquisar neste blogue