quinta-feira, 15 de novembro de 2007

o tempo não pára

O que sempre soube
A canção de alguém que não ouve
Entende, não desespera
Aguarda e persevera

Eu mudo com o mundo
Mesmo que ele não mude, ou seja mudo
A certeza vive cá no fundo
Em cada segundo
Ao lado do tempo que sempre vive
Num toque de veludo
Muito mais do que sobrevive

Eu paro e reparo que o tempo não pára

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue