quarta-feira, 15 de agosto de 2007

incenso

Não tenho tudo. Não sou o que quero. Não sou coerente. Não sou diferente.

Que falta faz o não? Porque se faz tanta pergunta?
Pode ser a revolta do não dizer não; e saber o que fica.
Sou eu, o que sou... sempre. Mesmo que questione o que é ser alguém.
É mais simples apenas ser, sem questionar; porque uma pergunta não é uma resposta. Porque é comum haver quem aponte os erros. E só. E nós sabemos quais são os erros.
Então, sou... e se sei ser? [...] sei.

1 comentário:

Vieira MCM disse...

É comum apontar os erros e deixar as virtudes de lado, é tão comum que até nós próprios temos dificuldade de lidar com o que temos de melhor, pois é muito mais facil ser banal do que ser apenas diferente.
Talvez o não até faça falta para dizer que não basta ser alguem, é mesmo melhor não ser ninguém, em prol de se ser o que se é.
Vieira MCM

Pesquisar neste blogue